8 de agosto de 2006

genética

somos puros mistérios ambulantes
caminhando
somos educados
apesar do sonho da organização e perfeição, o Cosmos é caos

misteriosa confusão fluída

fecho meus olhos
vislumbro minhas vísceras


abro meus olhos e vejo o Lilah
a pirotecnia dos sentidos

- penso em todos os mistérios banidos pelos cinco sentidos que o homem acha que têm

a vida é a mais bela física


e vejo o globo vesgo lotado:
torno-me, automaticamente, espiritual.




parem tudo, sintam o cheiro,

sejam ofuscados

abram-se, mortais!
por Deus!

o Mistério caminha nas veias

2 comentários:

beto mancini disse...

Êta mulher pórreta, sô.....sacou tudinho a misteriosa Lilah de Deus...

Marcellobo disse...

intônci...
toda quinta feira, envio uma poesia para o Instituto onde trabalho, e a escolhida hoje foi essa.
Valew