4 de janeiro de 2010



aprendo a amar
enquanto te amo
enquanto estudo esse tudo que representamos
não é simples
entender os detalhes, o incondicional, o transpessoal, o extra mental
aprendo a amar enquanto sobrevivo no circo dos homens, esse caos belo e sinistro que foi criado
sair dos chavões, esquecer os limites idiotas que a cultura nos impõe
amar como quem dá a luz
como quem voa além mar
além cosmos
no sentido puro que essa palavra possa invocar

a cura para o mundo é amor e alimentação
o resto é papo

Um comentário:

Vivian Fiorio disse...

...e querer tudo isso torna o amor ainda mais místico não é?

Parabéns, sua poesia é linda, sutil e profunda! Beijocas.